#almanaqueTV: Investigação Criminal estreia terceira temporada no A&E

A série brasileira, Investigação Criminal, que revela detalhes de crimes recentes que chocaram o Brasil, chega com tudo em sua terceira temporada. Todas as sextas, às 21h, tem um episódio inédito no A&E.

Na nova temporada, 10 novos casos são abordados. Crimes como o do maestro assassinado, da dentista queimada viva, do maníaco de Ribeirão Pires e o caso Friboi são esmiuçados na terceira temporada de Investigação Criminal. 

Com linguagem documental e apuração objetiva, Investigação Criminal apresenta a cronologia dos fatos, a motivação dos criminosos, o contexto e os detalhes técnicos e científicos das investigações de crimes que chocaram o País. Por meio de entrevistas com delegados, peritos criminais e legistas envolvidos nos casos – que explicam cada crime de forma didática, com o auxílio de imagens exclusivas –, a produção monta com exatidão a ordem dos fatos e apresenta elementos desconhecidos dos inquéritos dos crimes.

Coprodução do A&E e da Medialand, Investigação Criminal busca mostrar ao telespectador um panorama completo de uma investigação criminal, do começo ao fim – desde a análise do local do crime, passando pelas suposições de quem seriam os culpados até o desenho de toda a sequência de ações que levaram à execução do crime.

Investigação Criminal
Crédito: Divulgação – A&E

No primeiro episódio de Investigação Criminal, foi apresentado o caso Friboi, sobre o polêmico assassinato do diretor financeiro de uma das maiores empresas do Brasil, o frigorífico Friboi, Humberto Magalhães, em 2008. De origem humilde e, apesar de ter acumulado muito dinheiro e chegado ao ápice da carreira corporativa, o executivo continuava a ser uma pessoa simples e acessível.

Ainda que já estivesse vivendo com outra mulher, Humberto era muito ligado à família e jamais poderia imaginar que acabaria sendo assassinato, a mando de sua esposa e mãe de seus dois filhos, Giselma. Ela ainda tentou escapar impune do crime, arquitetando uma trama sinistra para incriminar seu filho mais novo, ainda adolescente, como autor da morte do pai. Mas a Justiça se fez presente nesse caso, e a mandante do assassinato foi condenada a 22 anos de prisão em 2013, juntamente com seu irmão, que executou o crime.

Com depoimentos do filho da caçula da vítima, Carlos Eduardo Magalhães, do delegado Rodolpho Chiarelli, do investigador Ricardo Scabar e do promotor José Carlos Consenzo, Investigação Criminal refaz passo a passo dessa dramática e mirabolante história e traça o perfil dos principais personagens envolvidos na macabra trama.

SERVIÇO
INVESTIGAÇÃO CRIMINAL
Quando? sexta-feira, às 21h, no A&E

Fonte: Assessoria de Imprensa – Press Services Soluções Integradas em Comunicação